4 Erros de Negociação Crónicos: De Volta ao Paper Trading

Última Atualização a 26/06/2020

As últimas duas semanas foram de prejuízos na bolsa de valores, com resultados de -0,48% e -2,49% respetivamente. Se bem que as perdas financeiras não foram muito avultadas, importa refletir sobre as negociações que executei em day trading, e principalmente sobre os principais erros que cometi.

Até eliminar estes erros,  e ter de regresso resultados consistentes, terei de negociar numa conta de simulação, conhecido como paper trading.

Erro n.º 1: Negociar em average down

O average down é quando se entra numa nova posição, depois da primeira posição ter ido no sentido contrário à direção pretendida, e na expectativa de se diminuir o custo global da posição. Se por exemplo comprar 50 ações da Intel (INTC) por $55.00, na expectativa do preço subir, mas o preço recuar para $54.00 e comprar mais 50 ações, fico com uma posição de 100 ações com o custo médio de $54.50 por ação.

Se o preço voltar a subir, consigo recuperar mais rápido, podendo terminar em lucro ou em break even. A desvantagem é que se o preço continuar a descer, as perdas irão ser maiores, pois estou exposto a um maior risco com um maior número de ações do que na posição inicial.

Erro n.º 2: Manter a posição aberta durante a noite

O day trading é quando se abre e fecha uma posição no mesmo dia. Já por várias vezes, quando estou a chegar ao final da sessão, e encontro-me no vermelho, que mantenho a posição durante a noite na expectativa dos mercados abrirem em alta ou baixa no dia seguinte, de forma a recuperar o dinheiro perdido no dia anterior.

Isto funciona se os preços abrirem na nova sessão a meu favor, mas caso contrário, irá ainda aumentar ainda mais os meus prejuízos. Manter uma posição aberta durante a noite e utilizar o average down é uma combinação explosiva para uma maior exposição ao risco.

Erro n.º 3: Utilizar vários tipos de padrões gráficos

Existem três tipos de padrões gráficos: tendência, reversão ou contra tendência e canal. Se o trading já é difícil o suficiente com um tipo de de padrão, imagine-se negociar todos os tipos de padrões, esperando-se obter bons resultados em todos eles.

É o que tenho estado a fazer, entrando em várias posições com vários tipos de padrões. Além de não aperfeiçoar uma técnica, isto conduz ao overtrading, vendo oportunidades a todo o momento, e a negociar mais do que o essencial.

Erro n.º 4: Não fazer a gestão do dinheiro

A gestão do dinheiro é saber determinar antes de entrar numa posição, quais os preços do stop loss e target, bem como o tamanho da posição.

O stop loss e target não devem ser colocados aleatoriamente atendendo apenas ao rácio risco recompensa. A estratégia utilizada é baseada no price action, ou seja, nos gráficos de preços com os gráficos de velas. Portanto, o stop loss e o target devem estar localizados em locais lógicos no gráfico.

O tamanho da posição é calculado pelo valor do risco assumido em cada negociação, derivado da distância entre os preços de entrada e de stop loss. A volatilidade esperada de um título também pode influenciar o tamanho da posição, reduzindo-se e aumentado-se a posição em função da variação média diária de preços.

Conclusão

O day trading não é fácil, e pode tornar-se mais difícil ainda se não conseguir eliminar os erros crónicos. Neste artigo enumerei os quatro erros principais que penso que têm me impedido de avançar mais nem direção aos objetivos de rentabilidade pretendidos.

Os primeiros três erros (negociar em average down, manter a posição aberta durante a noite e utilizar vários tipos de padrões gráficos) são relativamente fáceis de eliminar, bastante ter consciência dos mesmos, de modo a não os voltar a repetir. O ultimo e quarto erro da gestão do dinheiro, é mais difícil, exigindo muita prática e persistência do trader.

Já Tem Uma Estratégia de Trading?

Insira o seu email para receber a nossa estratégia simples de day trading.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização.