Desafio Day Trade $5000 – Mesa Proprietária

Iniciei um desafio numa mesa proprietária (prop firm) para tentar elevar o meu trading para o próximo nível.

Uma mesa proprietária financia traders se estes atingirem objetivos pré-determinados numa conta de demonstração.

Iniciei uma conta modesta de $5000 com o objetivo de lucro $500 (10%) para ser financiado.

O desafio termina sem sucesso se i) perder num dia 4% da conta ou ii) se perder 6% em relação ao valor máximo da conta.

Neste artigo publico e atualizo diariamente todos os trades do desafio para documentar a evolução do mesmo, constituindo uma espécie de diário.

Dia 0 – 27/11/2022

Plataforma de trade MT4

Iniciei o desafio há uns dias e não registei os trades anteriores, pelo que o saldo inicial na conta MT4 começa com $5053.23.

O Meu Sistema de Day Trade 5.0

O sistema de day trade continua a evoluir estando já na versão 5.0, a que chamarei no resto da publicação de DT5.0.

As componentes do DT5.0, do elemento menor para o elemento maior, são:

  • Candles
  • Suporte e resistência
  • Setups
  • Fibonacci (Opcional)
  • Risco

Candles

Os padrões de candles são adaptados do sistema de trade “The Strat” criado por Rob Smith, que pretende dar uma maior objetividade na interpretação das candles.

Na figura abaixo encontra-se resumo dos principais padrões de reversão e continuidade criado pela trader @tradesnipersara, uma conhecida adepta do método “The Strat”.

Na figura pode ser observado que muitos dos padrões contêm a localização da entrada e do target dos trades. No entanto, no meu sistema, não uso o target, apenas a zona da entrada observda no gráfico de 15 minutos. O target é geralmente usado em tempos gráficos maiores, comos os gráficos de 4 horas ou diário, e para quem usa o método completo do “The Strat”.

Suporte e resistência

O suporte e resistência são zonas importantes que muitos traders acompanham e onde existem importantes reações do price action. Os níveis que observo e desenho nos gráficos inclui os seguintes:

  • Fecho do dia anterior
  • Máxima e mínima do dia anterior
  • Máximas e mínimas de pré-mercado e noite.
  • Abertura da sessão
  • Pontos pivô

Setups

A iteração das candles com o suporte e resistência dá-nos os setups, que são divididos nos seguintes tipos:

  • Teste de Rompimento
  • Rompimento
  • Continuação
  • Rompimento Falhado
  • Reversão

Com exceção do setup de “Continuação”, todos os setups ocorrem junto a um nível de suporte e resistência.

Fibonacci (Opcional)

As retrações e extensões de Fibonacci foram um elemento que adicionei ao sistema mais recentemente e pretende acima de tudo criar um modelo para a estrutura de mercado em tempos gráficos maiores. É um elemento opcional, mas de elevado valor, e que me ajuda a operar no lado certo do mercado com os “big players”.

Os valores que uso para as retrações e extensões são:

  • Retrações: 0, 0.382, 0.5, 0.618 e 1
  • Extensões: -0.236

O modelo foi adaptado de Jonh Doer, tratando-se a sua aplicação prática mais uma arte do que ciência, pelo que é apto a traders mais experientes, sob pena de sinais conflituosos.

Muitas vezes, os números de Fibonacci dão uma direção clara do mercado não querendo ir contra a mesma. Noutras vezes, os números não são claros, pelo que posso operar na sessão em qualquer direção.

Risco

Existem vários formas de reponder ao risco sendo a primeira e mais óbvia determinar o valor da perda no caso da ideia de trade estar errada. No índice Nasdaq 100, uso 20 a 40 pontos para a distância entre a entrada e o stop loss.

O target é colocado a pelo menos duas vezes o valor da perda, ou seja, de 40 a 80 pontos no Nasdaq com um RR mínimo de 2.

O sinal de trade é observado no gráfico de 15 minutos.

A segunda resposta ao risco é controlar o FOMO (Fear of Missing Out), que são as operações em excesso, e que geralmente não conduz a bons resultados.

Para limitar o FOMO apresento duas soluções: i) não iniciar trades na abertura (primeiros quinze minutos) e ii) não executar mais de dois trades na sessão.

O limite de dois trades por sessão não é por acaso, sendo o número médio de oportunidades de trade numa sessão no gráfico de 15 minutos.

O Meu Sistema de Day Trade 4.0

A aplicação prática do meu sistema de day trade que vou descrever de seguida pode ser observado na análise técnica do índice Nasdaq 100 na bolsa americana que publico diariamente no blog.

De referir que esta análise pode ser adaptada a outros mercados líquidos como o MiniBovespa, Forex e Criptomoedas.

Existem dois tipos de day trade

Dentro do day trade existem dois tipos de operação: scalp e regular.

A operação scalp é um trade rápido com uma duração geralmente de até 15 minutos, em que o trader fecha a sua posição logo que exista sinal de enfraquecimento dos touros ou ursos, isto é. não aguardando qualquer retração de preço.

A operação regular tem uma duração esperada de 15 minutos até um dia, em que o trader aguenta as retrações de preço, podendo usar ou não um trailing stop para aproveitar as tendências que se formam durante a sessão.

Operações de day trade scalp e regular

As operações de day trade regulares são assinaladas nos gráficos pela seta a azul para qualquer posição longa ou curta. As operações de day trade scalp são assinaladas por um pequeno retângulo verde ou vermelho para posições longas ou curtas respetivamente.

Nem sempre insiro os scalps para não sobrecarregar os gráficos de informação, além de que se trata de um tipo de operação avançado e apta a traders mais experientes.

Confluência para um sinal de trade

Um sinal de trade precisa da confluência de quatro fatores:

  1. Suporte e resistência
  2. Setup
  3. Candle
  4. Risco
  5. Psicologia (Jogo Interior)

1. Suporte e resistência

Como prefiro os gráficos de preço “clean”, uso sobretudo o indicador Pontos Pivô diários como níveis de suporte e resistência. Estes são bastantes respeitados e seguidos por muitos outros day traders e algoritmos.

Suporte e Resistência

Os Pontos Pivô são desenhados nos gráficos através das linhas horizontais azul e laranja. Quando a distância entre dois níveis é grande, como no caso da figura acima entre os níveis S2 e S1, pode ser criar um nível adicional numa distância a 50% linha horizontal branca a tracejado).

Outros níveis de suporte e resistência que podem ser úteis para o day trade são a abertura da sessão, fecho do dia anterior, máxima e mínima de pré-mercado, máxima e mínima do dia anterior.

2. Setup

Existem quatro tipo de setups consoante a sua localização em relação aos níveis de suporte/resistência.

  • Reversão
  • Rompimento
  • Teste de Rompimento
  • Continuação

Os setups que uso são todos baseados e adaptados do padrão clássico Fundo Duplo e Topo Duplo, que na sua essência são duas tentativas próximas do mercado se estabelecer numa determinada direção. Se estes padrões estiverem no contexto correto têm uma boa probabilidade de sucesso.

Se seguida é exibida a estrutura de mercado para cada um dos tipos de setup para uma operação touro ou de compra. Aplica-se o inverso para uma operação urso ou de venda.

Reversão

Setup de reversão

O setup de reversão clássico que uso é o fundo duplo com uma mínima baixa ou mínima alta junto a um nível de suporte. No primeiro padrão o segundo fundo teve um rompimento falhado em relação ao primeiro fundo, enquanto no segundo padrão o segundo fundo não chega a atingir o nível do primeiro fundo.

Setup de reversão 2

Quando os dois fundos estão ao mesmo nível numa reversão é necessário aguardar pela formação de mais candles, pois isto significa indecisão no mercado. A validação de um novo sinal de entrada ocorre com a formação de uma novo fundo duplo. Um padrão com apenas um fundo não é válido.

Rompimento

Setup de rompimento

O setup de rompimento para ser válido deve ter uma retração a criar “pressão” junto a um nível de resistência como é o caso do padrão da direita. No padrão da esquerda, a retração afasta-se da resistência, e consequentemente não é válido.

Teste de Rompimento

Setup teste de rompimento

No setup teste de rompimento, o preço rompe o nível de resistência para depois testar o mesmo nível que se transforma em suporte

Rompimento Falhado

Setup de rompimento falhado

No setup rompimento falhado, o preço ultrapassa o nível de resistência para depois reverter de direção. Ter em atenção a necessidade de um topo duplo como no caso do padrão da direita para uma setup com uma uma maior probabilidade de sucesso. O padrão da esquerda com apenas um topo pode dar um falso sinal.

Continuação

Um setup de continuação ocorre entre dois níveis de suporte e resistência em que o segundo fundo forma uma mínima baixa em relação ao primeiro fundo. De referir que existem duas versões neste setup com o segundo topo a formar uma máxima baixa e uma máxima alta respetivamente.

3. Candle

Existem muitos padrões de candles (barras), sendo que na sua essência apenas é necessário conhecer três tipos:

  1. Barra de tendência
  2. Barra de pines
  3. Barra doji

No gráfico seguinte pode ser observado cada tipo de candle ou barra.

Tipos de candles

Barra de tendência

A barra de tendência tem um corpo que preenche toda ou quase toda a totalidade da barra, isto é, sem sombras ou com pequenas sombras nos extremos. Para se qualificar como uma barra de tendência, a barra tem de ter um tamanho médio quando comparada a outras barras anteriores.

Doji

O doji é qualquer barra com um corpo pequeno ou inexistente quando comparado com a média de outros corpos de barras anteriores. A barra doji pode ter qualquer tamanho, incluindo sombras grandes ou pequenas ou mesmo não ter sombras. O que a distingue das outras barras é realmente o corpo pequeno.

Barra de Pines

A barra de pines em termos visuais é uma mistura das duas barras anteriores. O que a distingue é a sombra maior num dos extremos e o corpo no outro extremo sem sombra ou com uma sombra menor. O corpo ocupa um a dois terços do tamanho da barra quando comparada com a sombra maior. À semelhança da barra de tendência, a barra de pines deve ter o tamanho médio das barras anteriores.

Apenas as barras de tendência e de pines são operáveis

Destes três tipos de barras, apenas se operam as barras de tendência e barras de pines. A cor do corpo deverá ser na direção da entrada pretendida.

As barras doji não são operáveis por si só, pois mostram indecisão, sendo necessário aguardar pela formação de novas barras para se ter uma opinião da direção do mercado. As barras doji com sombras maiores num dos extremos são uma das favoritas dos Market Makers para iludir day traders e participantes do mercado a entrar na direção errada.

4. Risco

Uma operação para ser válida, deve ter um RR favorável, que é determinado em função do tipo de day trade: scalp ou regular.

Rácio RR

Considerando a natureza rápida do scalp, o take profit não deve aguardar nenhuma retração do preço para sair do trade, devendo a saída ocorrer enquanto o mercado ainda exibe força na direção da entrada. O stop loss é colocado abaixo da barra de sinal com um RR de 1.

O day trade regular pode aguardar ou não retrações de preço para sair do trade com um RR de 2, em que o take profit é o dobro do stop loss. O stop loss é colocado abaixo do fundo duplo. O take profit não deve ter nenhuma obstrução no caminho para garantir o RR maior.

De reforçar que as operações scalp são geralmente trades mais difíceis com muitas subtilezas na sua execução, o que pela sua natureza são aptas a traders mais experientes.

5. Psicologia (Jogo Interior)

A fikosofia de psicologia na bolsa apresentada de seguida surgiu no livro O Jogo Interior do Ténis de W. Timothy Gallwey, um famoso treinador de ténis dos EUA. No ténis, como em qualquer desporto de alta competição, constatou-se de que a psicologia, a que Gallwey chama de “o jogo interior”, tem uma maior sobre os resultados do que propriamente a técnica.

O autor defende que a estrutura mental para o sucesso no ténis pode ser aplicada a outro desporto ou qualquer outra área da vida.

A mensagem central do livro é a seguinte:

Os resultados positivos na bolsa não são propriamente o produto de um grande esforço. Pelo contrário, acontencem se nos entregarmos ao processo natural de aprendizagem e confiarmos nas nossas verdadeiras capacidades. Isto implica aprender com os erros e lidar serenamente com os sucessos, aceitando o facto de que somos capazes de tomar as melhores decisões a cada momento.

Todos temos dois Eus

Para ilustrar esta tese, Gallwey elabora que todos temos dois Eus: Eu 1 e Eu 2.

O Eu 1 é o consciente, a parte da nossa mente que usamos para pensar, decidir e falar connosco próprios. O Eu 2 é o subconsciente, responsável por regular todas as funções do corpo e por revelar o nosso verdadeiro potencial e capacidades.

Não temos influência direta sobre o Eu 2, apenas sobre o Eu 1. O segredo é alimentarmos o Eu 1 com os melhores pensamentos, isto é, livre de críticas e euforias, fora dos extremos, e deixando que o Eu 2 siga o seu ritmo natural.

A harmonia entre o Eu 1 e Eu 2 é de grande importânica numa estratégia de day trade discricionária, com a necessidade de uma grande velocidade de resposta mental às condições de mercado num ambiente incerto.

Evitar extremos emocionais

Quanto menos experiência tivermos nos mercados, mais erros iremos cometer, sendo perfeitamente normal. Por isso, devemos abandonar as autocríticas que conduzem a uma espiral de pensamento negativo.

Noutras vezes, temos sorte nos mercados, com vários trades consecutivos de sucesso, deixando-nos em euforia. Isto conduz-nos a um espiral de pensamento positivo com um excesso de confiança o que resulta normalmente me desgraça com trades descuidados.

Como se aplica na prática?

Gallwey eleva para o próximo nível a psicologia de operação na bolsa em relação a outras filosofias como o trabalho de Mark Douglas em O Trader Disciplinado. Douglas identifica a falta de disciplina e a incapacidade em lidar com a incerteza como os principais problemas dos traders, mas não expõe como estes problemas podem ser ultrapassados.

Gallwey expõe que os traders podem vencer os seus principais desafios se permitirem aos Eu 1 e Eu 2 conviverem em harmonia, focando a sua atenção no presente e adquirindo prática na arte da concentração relaxada a que eu chamo de “concentração zen”. Os resultados virão naturalmente com o tempo e prática.

Para a prática da “concentração zen”, é necessário um foco. No ténis é usada a bola e a raquete como foco. Na bolsa temos de encontrar outros elementos relacionados com a nossa prática de day trade.

As candles são o elemento mais óbvio, sendo que no final de cada candle de 5 minutos coloco as seguintes questões com as respetivas respostas:

i) Qual o tipo de candle formada?
– Barra de tendência
– Barra de pines
– Doji

ii) Qual o nível de suporte ou resistência?
– Fecho do dia anterior
– Máxima ou mínima do dia anterior
– Máxima ou mínima de pré-mercado
– Pontos pivô
– Nenhum

iii) Qual o tipo de estrutura de mercado?
– Tendência
– Lateralidade

iv) Qual o sentimento de mercado?
– Touro
– Urso

As primeiras duas questões são objetivas enquanto as duas ultimas são discricionárias. Todas as quatro questões são observadas no gráfico de 5 minutos.

Uso o Notion para manter o foco, com um campo de seleção para cada questão, o que não leva mais de 10 ou 20 segundos para preencher em cada candle. Isto é geralmente o suficiente para manter o foco e a “concentração zen”. Também poderia usar o Excel para para esta prática, mas prefiro o Notion pelo seu design minimalista e “zen” que vai de encontro à filosofia do Jogo Interior.

Confissões de um Day Trader #19

Mercado fora de horas

Os gráficos diários de análise técnica passam agora a incluir as candles de pré-mercado, também conhecido como mercado de futuros, mercado fora de horas ou simplesmente Globex. O horário regular dos índices de ações dos EUA decorre das 9:30 às 16:00 ET. Tudo o que está fora deste horário é considerado o mercado fora de horas .

Em mercados líquidos como o Nasdaq 100 e S&P 500, o mercado fora de horas pode ser operado por si só, mas mesmo que o trader só opere o horário regular da sessão, o Globex fornece vários sinais que podem ser usados no horário regular como a máxima e mínima do pré-mercado e observação das candles.

O paradoxo da disciplina e flexibilidade

Depois de se encontrar uma estratégia de trade com uma vantagem competitiva, o mais difícil é manter a disciplina na execução. No entanto, como uma estratégia pode sofrer modificações e ser aprimorada ao longo de tempo, importa ter alguma flexibilidade.

Isto pode parecer um paradoxo, manter a disciplina e ser flexível ao mesmo tempo. A forma como vejo isto é manter a disciplina na execução da estratégia em que se vão mudando e testando algumas componentes com o objetivo de melhoria contínua.

Por exemplo, tinha decidido apenas operar setups de reversão. De facto, deverei entrar primeiro no mercado num trade com um setup de reversão, mas se tiver a sorte de apanhar o início de uma reversão maior, poderei adicionar à posição inicial setups de continuação se algum padrão gráfico surgir entretanto na direção do meu alvo. Isto poderá melhorar significativamente a rentabilidade da estratégia.

Trades em tempo real

Ainda durante o mês de setembro, vou divulgar junto dos leitores do blog a minha nova conta no Twitter, com o objetivo de publicar tweets de todos os meus trades em tempo real, incluindo lucros e perdas (em pontos). Por enquanto ainda estou a estudar a melhor forma de divulgar este conteúdo para que o leitor possa ter a melhor experiência.

Estes dois canais servem objetivos diferentes: o blog oferece a plataforma de conhecimento enquanto o Twitter exibe os meus trades numa conta real. Pretende-se mostrar como a teoria e prática se interligam para criar uma estratégia de trade.

Confissões de um Day Trader #18

Existem dois tipos de setup na bolsa: continuação e momento.

No setup de continuação, o trader aposta que o mercado vai continuar na mesma direção, podendo entrar num padrão de retração ou rompimento.

No setup de reversão, o trader aposta que o preço irá reverter de direção, podendo entrar num padrão de contra tendência (reversão menor) ou com sorte apanhar o início de uma nova tendência (reversão maior).

Cada tipo de setup tem as suas vantagens e desvantagens, adaptado a cada estrutura de mercado. Idealmente o trader seleciona o tipo de setup em função da estrutura de mercado.

Numa tentativa de reduzir as variáveis de análise técnica, e portanto os erros de trade, vou dedicar-me nos próximos dias/semanas apenas a operar setups de reversão, que aliás são os meus setups favoritos.

Confissões de um Day Trader #17

Iniciei a análise diária do índice MiniBovespa, mas infelizmente vou ter de cancelar este projeto, pois o acompanhamento de vários mercados torna-se saturante a nível de tempo.

Para quem opera o MiniBovespa, poderá testar a estratégia de day trade neste mercado. Aliás, este método poderá ser usado com pequenas adaptações nos ativos financeiros mais líquidos.

Os dois mercados que sigo, Nasdaq 100 e Dow Jones, têm mais do que oportunidades decentes para o sucesso na bolsa.

Considero os três pilares de sucesso de uma análise técnica com price action os seguintes:

  1. Confluência de padrões gráficos: uso pivot points e segundas entradas para encontrar confluência.
  2. Gestão do risco (equação do trader): tamanho da posição, entrada, stop loss, take profit e RR.
  3. Psicologia: executar os pontos 1 e 2 com o mínimo de erros.

Os erros do ponto 3 incluem clássicos como FOMO e revenge trading. Fear of Misssing Out é entrar cedo demais num trade (as segundas entradas são um bom antídoto para este erro). Revenge trading é tentar recuperar o dinheiro perdido no início da sessão (o melhor antídoto para este erro é impor um limite diário de perda). 

Nos próximos dias e semanas vou concentrar-me em alguns aspetos da gestão do risco, testando a otimização do stop loss, take profit e tamanho da posição.

  • Stop loss: mudar para breakeven ou não? (depois do preço percorrer alguma distância na direção pretendida).
  • Take profit: fechar posição prematuramente ou não? (se for observada uma segunda entrada na direção contrária).
  • Tamanho da posição: nas posições a 50% (metade da posição regular) adicionar +50% se o mercado for contra e existir um novo setup na direção original.

Confissões de um Day Trader #16

Depois do interesse de vários leitores do blog, vou introduzir a análise técnica diária no indíce MinoBovespa. Este indice é muito popular no Brasil sendo a porta de entrada na bolsa para muitos traders.

A análise do MiniBovespa é idêntica à que já faço nos indíceis americanos Nasdaq e Dow Jones. A espinha dorsal da estratégia atual são os Pivot Points e Segundas Entradas.

Os Pivot Points são níveis de suporte e resistência calculados de forma objetiva através da aritmética de três preços do dia anterior (no caso de Pivot Points diários): máxima, mínima e fecho. A maioria das plataformas já inclui este indicador com o cálculo e desenho automático dos níveis.

Os níveis de Pivot Points são observados por muito traders, e principalmente por muitos algoritmos, não sendo subjetivos como no caso dos níveis de suporte e resistência tradicionais. A vantagem dos Pivor Points é que deixam os gráficos de preços mais “limpos” podendo facilitar a análise técnica para alguns traders.

As Segundas Entradas são um conceito popularizado por Al Brooks e funcionam bem com os Pivot Points. Mack PATS, um estudante de Brooks, também desenvolveu a sua estratégia de trade baseada em grande medida nos setups de Segunda Entrada, e usando como indicador uma média móvel.

Na prática, isto significa que a entrada num setup de trade deverá ocorrer no segundo sinal de padrão de candles. O primeiro sinal confirma a interação com o Pivot Point e a segunda entrada confirma a entrada na posição.

Confissões de um Day Trader #15

Quanto mais opero na bolsa mais chego à conclusão de que não existem sistemas perfeitos de análise técnica. Todos os sistemas têm as suas vantagens e desvantagens. Portanto, quando alguém afirma que encontrou o holy grail do trade, isto parece-me pura fantasia.

A incerteza nos mercados, com todos os seus participantes e objetivos distintos, faz com que qualquer previsão esteja sujeita a um grau de erro, maior ou menor.

Não existe atalho para as milhares de horas á frente do ecrã a observar os preços bem como alguma educação de qualidade. A proficiência do trader acontece quando as decisões são tomadas ao nivel inconsciente e intuitivo, da mesma forma que se chega à perícia da condução de uma bicicleta ou carro.

Isto não invalida a necessidade de uma análise técnica cuidada. A análise é necessária para o enquadramento do contexto do price action, para o trader puder obter uma perceção geral do mercado, de quem está no controlo: se os touros, se os ursos, ou se por outro lado, ambos estão em equilíbrio (touros e ursos).

Por exemplo, a minha estratégia centra-se em reconhecer sinais de price action junto a níveis de suporte e resistência. O mesmo sinal poderá dar um trade de reversão num mercado e um trade de continuação noutro mercado, sendo a diferença entre lucro e perda.

Deste modo, como é que se consegue saber a reação do mercado num sinal de price action, se o mercado irá reverter ou continuar? Resposta: através da experiência com a observação de muitas outras situações semelhantes no passado. E mesmo com toda esta prática, é impossível obter certezas absolutas, apenas uma vantagem probabilística, o suficiente para se obter uma vantagem no mercado.

Confissões de um Day Trader #14

A estratégia de day trade continua a evoluir, com a inclusão de tempo gráfico maior na análise e a observação das potenciais zonas de stop loss e alvo.

O tempo gráfico maior, como o de 4 horas, serve para determinar a direção da entrada: comprar, vender ou misto (neste ultimo tanto posso comprar como vender).

A entrada é em função da tendência: alta, baixa ou lateral. Se tiver em dúvida quanto ao tipo de tendência, considero a mesma lateral. Para alguns traders, o uso de médias móveis (por exemplo as 200 MME e 50 MME) também poderão ajudar a visualizar rapidamente qual a direção da tendência.

O gráfico de 5 minutos é onde a ação acontece com o cálculo da entrada, stop e alvo.

Embora possa desenhar nos gráficos vários níveis de stop loss e alvos para um trade (para efeitos de estudo e futuros trabalhos), na prática não faço a gestão do trade após o iníco da operação. O mercado terá de atingir o stop loss ou o alvo para o trade encerrar. Isto evita pensar muito depois de uma posição aberta, deixando o mercado decidir por ele próprio para onde pretende seguir.

Muitos traders movem o stop loss para breakeven logo que obtenham algum lucro, mas na minha observação verifiquei que os market makers estão atentos a esta prática. Muitas vezes, os market makers regressam ao preço breakeven (correndo os stops protetivos) antes de continuarem na direção pretendida.

Confissões de um Day Trader #13

No início, e mesmo depois de algum tempo, o day trade parece tão fácil. É como se o sucesso estivesse ao virar da esquina: é só aguentar mais um pouco que vou ter o mundo a meus pés com todo o dinheiro que vou ganhar na bolsa.

Mas depois a realidade acontece. Mês após mês, ano após ano, etc. os resultados não chegam. O day trader começa pela primeira vez a perder a confiança que tinha inicialmente e pensa em desistir.

É a partir daqui que começa o verdadeiro trabalho, com a consciência do quanto é difícil ter sucesso nos mercados financeiros. O day trader apercebe-se que necessita de construir uma estratégia.

O desenvolvimento de uma estratégia implica ter o mínimo de componentes de forma a se reduzir o número de decisões por trade, pelo menos inicialmente, até se conseguir obter alguma consistência.

Primeiro é natural que a estratégia seja copiada de outro trader. No entanto, a marca de uma estratégia de sucesso, reside na combinação e adaptação de varios métodos até se obter uma estratégia única e diferente adaptada à personalidade de cada indivíduo.

Por isso se explica em grande parte um trader não consegue obter sucesso simplesmente a copiar a estratégia de outro trader.