Em Dias de Instabilidade Emocional é Melhor Ficar Fora dos Mercados

Pessoa a descansar em banco ao ar livre

Existem dias em que não vale a pena operar nos mercados financeiros, seja qual o tipo de estratégia: day trade, swing trade, etc.

Hoje foi um desses dias que me testou os limites emocionais depois de um conflito com a equipa de trabalho. Quando sai do escritório estava com uma ansiedade enorme, o que me deixou incapaz de observar os gráficos de preços ou fazer seja o que fosse.

Tomei a melhor opção, decidindo não operar nos mercados e regressar no dia seguinte. No passado não ligava à psicologia no trading, o que acabava em perdas diárias quando operava num dia deste tipo, tão desfocado do momento.

Por coincidência, este foi também o dia em que levei a primeira dose da vacina para prevenção dos efeitos do COVID-19. O centro de vacinação estava com muita gente, mas no final tudo correu bem e sai vacinado não sentindo até ao memento com quaisquer efeitos secundários.

Amanhã é um novo dia nos mercados.

Plano de Day Trade – PDT (Versão 2.0)

Homem a analisar gráfico de trade

Esta é a versão 2.0 do meu Plano de Day Trade (PDT), apresendo-se uma metodologia de negociação intra diária para o índice Nasdaq-100.

Em relação à versão anterior do PDT (versão 1.21), foram efetuadas as seguintes atualizações:

  • Foram considerados os melhores trades (Brooks, 2009).
  • Testar gráfico de 2 minutos com segundas entradas (Brooks, 2009), adicionalmente ao gráfico de 5 minutos.
  • Simplificação geral do plano.

Padrões de configuração

  1. Retração de Tendência Forte (RTF).
  2. Reversão de Tendência Maior (RTM).
  3. Reversão de Lateralidade Menor (RLM).

Rácio Risco Recompensa (R:R)

  • R:R >= 2.

Observações

RTF: Deverá existir primeiro um rompimento de um nível de suporte ou resistência, ou alguma distância até ao próximo nível.

RTM: Deverá existir primeiro um rompimento de linha de tendência ou de linha de canal, seguido de um teste ao extremo da tendência anterior.

RLM: A lateralidade é confirmada após dois pontos de suporte e dois pontos de resistência.

Testar: Análise de configurações no gráfico de 2 minutos com segundas entradas.

Day Trade Nasdaq-100 (maio 2021): Revisão e Resultados

PrimeXBT Estrato Conta Maio 2021 (1)

Esta é a revisão mensal e análise de resultados para a estratégia de day trade com o gráfico de 5 minutos no índice de ações Nasdaq-100.

Este mês mudei de corretora, pois a corretora anterior (Tradezero), embora tendo boas comissões e uma excelente execução, apenas permitia negociar posições maiores para ser rentável.

Uma vez que é importante negociar a dinheiro neste momento, tive de optar por outra corretora com comissões reduzidas em função da percentagem da posição. Optei pela PrimeXBT com uma conta base em criptomoeda (Bitcoin).

PrimeXBT Estrato Conta Maio 2021 (2)

A figura acima mostra o extrato da conta no período de 1 a 31 de maio de 2021. Iniciei com um balanco de 0.00248434 BTC terminando o mês com um balanço de 0.00251761 BTC. O P/L realizado neste período foi de 0.00004767 BTC e as comissões corresponderam a -0.00001440 BTC.

A expetativa matemática (profit factor) foi de 1.73, a taxa de sucesso foi de 69%, e o número de trades foi de 13.

Como Estudar Price Action com Al Brooks

Reading Price Charts Bar by Bar - Al Brooks

Al Brooks é considerado uma das autoridades mundiais do Price Action, e por uma boa razão. A sua análise técnica vai ao detalhe nos gráficos de preços contemplando muitos cenários de negociação nos mercados financeiros.

Se a análise ao pormenor pode ser uma virtude, por outro lado pode ser uma frustração para muitos traders que tentam ler ou decifrar o trabalho de Brooks, acabando muitos deles por desistir.

Neste artigo apresento uma abordagem para que o leitor possa compreender melhor os conceitos deste trader, de modo a facilitar conhecer a sua obra.

Se ainda tiver poucos ou nenhuns conhecimentos de Price Action, um ramo da análise técnica, o melhor é começar pelo trabalho de outros autores com os princípios básicos, amplamente disponível na Internet através de uma rápida pesquisa.

Se já tiver conhecimentos de Price Action, como barras ou velas japonesas, padrões gráficos, estrutura deo mercado, etc, então pode avançar para o trabalho de Brooks.

Al Brooks fez a publicação de quatro livros:

  1. Reading Price Charts Bar by Bar (2009)
  2. Trading Price Action Trends (2011)
  3. Trading Price Action Trading Ranges (2012)
  4. Trading Price Action Reversals (2012)

Apenas o livro 2 se encontra disponível em português com o título Operando Price Action: Tendências.

O livro 1 engloba toda a filosofia de Brooks, apresentando a estratégia de price action para os padrões de tendência, lateralidade e reversão. Os outros três livros desenvolvem e apresentam mais casos práticos.

Al Brooks para quem consegue ler em inglês

Na minha perspetiva, se o leitor compreender o inglês, o livro 1 é tudo o que precisa para ficar a compreender os conceitos de Price Action. A leitura dos outros livros, pelo menos numa primeira fase, torna-se demasiado maçuda. Em vez de estudar 400 páginas, teria de estudar 1500 páginas numa assentada.

Os quatro passos na leitura do livro 1 para quem entende inglês, são:

  1. Imprimir todos os gráficos do livro a partir do site da editora. Isto permite que não ande para a frente e para trás enquanto observa os gráficos e lê o texto correspondente.
  2. Fazer uma primeira leitura geral, sem estar preocupado em entender todos os conceitos. Quando não perceber alguma coisa depois de algumas leituras avance no texto. Dada a sua natureza repetitiva, irá com certeza mais à frente encontrar uma melhor clarificação. Brooks repete os mesmos conceitos vezes e vezes sem conta ao longo do livro.
  3. A segunda leitura deverá ser mais atenta, aprofundando os conceitos da primeira leitura e sublinhando com um marcador as partes do livro que considera mais relevantes.
  4. Finalmente, o quarto e último passo é fazer uma terceira leitura para consolidar a aprendizagem. Irá ver que nesta última leitura irá absorver muita informação, compreendendo muitas das noções dos quais ainda tinha dúvidas.

Há quem diga que o livro 1 não está bem escrito, mas se o leitor persistir, irá ver que Brooks repete continuamente os mesmos conceitos vezes sem conta. Isto é excelente, porque a repetição favorece a aprendizagem.

Al Brooks para quem tem dificuldades com o inglês

Se não consegue ler ou tem alguns problemas com o inglês, a alternativa é ler o livro 2 que foi traduzido para o português.

A temática principal deste livro é sobre os padrões de tendência, sendo que no entanto Brooks acaba por escrever sobre todos os tipos de padrões, retirando muitos dos mesmos benefícios do livro em inglês.

As fases de leitura são idênticas às anteriores, exceto o ponto 1 que não está disponível no site da editora.

Conclusão

Pessoalmente considero Al Brooks a autoridade n.º 1 a nível mundial do Price Action. Como em qualquer atividade compensadora, é preciso esforço e dedicação para aprender a estratégia e métodos.

Se é um principiante no trading, deverá começar por outro lugar mais apto e simples a iniciantes, de modo a entender os conceitos gerais da análise técnica. Se já tiver alguns conhecimentos ou experiência nos mercados, especialmente se o seu método for o Price Action, então Brooks é uma leitura obrigatória.

Para conseguir retirar o máximo de uma leitura que poderá ser difícil à partida, poderá seguir os quatro passos apresentados acima.

Padrão de Reversão de Tendência Maior (RTM): Estratégia e Prática

Reversão com Estrada em U

Este artigo apresenta uma estratégia de day trade de contra tendência no gráfico de 5 minutos com o padrão de Reversão de Tendência Maior (RTM).

Pretende-se fazer uma pequena introdução teórica ao padrão e mostrar vários exemplos gráficos no mercado de ações norte-americano.

Introdução ao padrão RTM

Uma tendência touro é uma série de mínimas altas e máximas altas, e uma tendência urso é uma série de máximas baixas e mínimas baixas. A negociação de um padrão RTM é uma tentativa de entrar no início de uma nova tendência esperando que se desenvolva uma nova série de máximas e mínimas em tendência.

As componentes e verificação deste tipo de padrão são as seguintes:

  • Tendência maior
  • Retração que rompe o canal
  • Teste do extremo (opcional)
  • Barra(s) de reversão.

A retração que rompe o canal pode ser um Rompimento da Linha de Tendência, uma Ultrapassagem da Linha de Canal, ou uma Consolidação do Preço que precede o Rompimento da Linha de Tendência.

A necessidade ou não do teste do extremo depende da qualidade do desenvolvimento do price action observada antes da confirmação da reversão.

Exemplos práticos

De seguida são exibidos dois exemplos com o padrão RTM. Nas próximas semanas irão ser adicionado novos gráficos ao gráfico com as variações no padrão.

Posição longa na AMAT

No gráfico abaixo, a AMAT abriu em alta e rompeu a máxima do dia anterior, para logo depois cair até perto da mínima anterior. Rompeu uma Linha de Tendência e testou o extremo formando um padrão Duplo Fundo com uma Mínima Alta. A barra de sinal que configurou a entrada foi uma Barra Externa de tendência (com fecho na direção da entrada).

Posição curta na AAPL

No gráfico abaixo, a AAPL abriu em alta a meio da sessão anterior. Houve um rali até ao rompimento da máxima do dia anterior seguido de mais um Rompimento de Linha de Tendência intradiária. Formou-se um Micro Duplo Topo com uma configuração de entrada com uma Barra Externa (com fecho na direção da entrada) como barra de sinal.

5 Erros de Day Trade com Conta de Dinheiro

Homem a Negociar na Bolsa

Hoje retomei a negociação nos mercados com uma conta real, e resultado foi mau. Ontem tinha finalizado e publicado o Plano de Day Trade -PDT (Versão 1.21), e pensava que estava minimamente preparado.

O objetivo era apenas negociar o ETF EWZ se surgisse uma configuração planeada, e acompanhar o ETF QQQ numa conta de simulação ou paper trading. Na imagem abaixo encontra-se a minha plataforma de negociação no Tradingview com os dois ETFs antes da abertura dos mercados.

Janelas no Tradigview com os Gráficos dos EDTs QQQ e EWZ

Para minha surpresa, quando consultei a plataforma de negociação da minha corretora Tradezero, logo após a abertura do mercado reparei que para iniciar posições curtas ou venda a descoberta no EWZ tinha de alocar ações, incorrendo em custos não previstos. Fiquei desorientado e alterei por completo a minha estratégia.

Erro n.º 1: Negociar mercados não planeados

Uma vez que não pretendia negociar o EWZ, o primeiro erro foi negociar um mercado não planeado, a Apple (AAPL). O resultado foi a primeira perda do dia.

Gráfico de 5 Minutos da Apple

Erro n.º 2: Atender telefonemas não urgentes durante a sessão

Decidi de seguida que mesmo não negociando posição curtas no EWZ, podia entrar longo ou comprar ações para depois vender. Pouco depois, um amigo ligou para o telefone, e como não conhecia o número e era a segunda chamada atendi o telefonema. O resultado foi ter passado ao lado a melhor oportunidade de negociação da sessão.

Gráfico de 5 minutos do EWZ

Erro n.º 3: Entrar com barra de sinal grande

Mais tarde, e depois do que me pareceu um padrão cunha, decidi iniciar posição longa no QQQ apostando numa reversão. Além de repetir o erro de negociar num mercado não planeado com uma conta real, entrei numa barra de sinal grande o que implica um maior risco. O resultado foi mais uma perda.

Gráfico de 5 minutos do QQQ com Padrão Cunha

Erros n.º 4 e n.º 5: Negociar padrões fora do plano de trade e iniciar mais de duas negociações por dia

Ainda não contente, e pelas 17:00 inicie nova posição a perseguir o mercado, com um padrão de momento e rompimento fora do PDT. O resultado foi a terceira perda consecutiva do dia. Isto significa que executei mais de duas posições, o que é mais um erro e fora do considerdado no plano.

Encerrei o dia de trade com uma perda acumulada de 0,90% (risco de 0,30% por posição).

Conclusão e lições a reter

As lições a retirar deste primeiro dia de negociação com o novo plano de day trade (PDT), são as seguintes:

  • Negociar numa conta real com dinheiro vivo é significativamente diferente de uma conta de simulação, tanto a nível técnico de execução como psicológico.
  • O custo de alocar ações para venda a descoberto pode não ser muito alto e justificar a despesa com um bom R:R.
  • Importa seguir ao máximo o plano de trading, e caso haja algum desvio em relação ao previsto, abortar a negociação na conta real e rever a sessão no final do dia. Rever o PDT se necessário e regressar aos mercados no dia seguinte.
  • É importante trabalhar para reduzir ao mínimo o número de erros, pelo que criei uma folha de cálculo com um resumo dos resultados acompanhado dos erros e número de ocorrências.
Folha de Cálculo com os Resultados e Erros do Trade

Plano de Day Trade – PDT (Versão 1.21)

Gráfico de Velas Com Médias Móveis

Este artigo apresenta a versão 1.21 do meu Plano de Day Trade (PDT), pretendendo-se desenvolver uma metodologia de negociação intra diária na bolsa de valores aplicada ao gráfico de 5 minutos.

Em relação à versão versão 1.1, foram efetuadas as seguintes atualizações principais:

  • Modifica o nome “Estratégia” para “Plano”.
  • Adiciona padrões de momento aos de reversão já usados.
  • Inicia a negociação numa conta real num único mercado com o ETF EWZ.
  • Acompanha mais um mercado em ambiente de simulação com o ETF QQQ.
  • O número de passos passa de seis para cinco, com uma reestruturação significativa dos mesmos.
  • A gestão da posição é englobada na gestão do risco.

Passo 1: Selecionar os mercados

São negociados um mercado na conta real e dois mercados na conta de simulação ou backtesting.

Conta real

  • EWZ (MSCI Brazil).

Simulação

  • QQQ (Nasdaq 100).

Passo 2: Identificar os padrões de negociação

São considerados dois padrões de negociação gerais: 1) reversão ou contra-tendência, e 2) momento ou continuidade. A confluência pretende aumentar a qualidade da configuração de entrada.

Padrões de reversão

  • Duas Pernas.
  • Três Impulsos ou Cunha.
  • Reversão de Tendência Maior.
  • Lateralidade (aguardar pela confirmação de dois pontos inferiores e dois pontos superiores).

Padrões de momento

Aplica-se 1) quando o preço está acima da máxima ou abaixo da mínima do dia anterior, ou 2) quando o preço está em lateralidade em relação ao(s) dia(s) anterior(es) em que uma das barras é muito longa.

  • Correção 50% + Máxima ou Mínima 2.
  • Parabólico.

Confluência

  • Máximas e mínimas: dia anterior, dias anteriores, semana anterior.
  • Fecho do dia anterior.
  • Abertura da semana: última sessão da semana.
  • Média Móvel Exponencial 20 períodos (MME).
  • Teste do extremo.
  • Falso Rompimento de um nível.
  • Falso Rompimento da barra de sinal por um ou mais pontos.
  • Falha de padrão.
  • Fundo ou Topo Arredondado.
  • Triângulo Convergente ou Expandido.
  • Rompimento com Retração.
  • Teste de Rompimento.
  • Última Bandeira.
  • Movimento Medido.
  • 2 Horas ou Mais acima ou abaixo da MME.
  • Arame Farpado.
  • Duplo Topo e Duplo Fundo.
  • Linha de Canal.
  • Linha de Tendência.
  • Rompimento da MME.
  • Segunda Entrada.
  • Padrão Regular e Micro.
  • Ímanes.

Passo 4: Selecionar a barra de sinal

O mais importante nas barras de sinal é ter um corpo com fecho na direção da entrada. Ter em atenção as armadilhas colocadas aos traders como muitas barras de pines por exemplo.

Barras de sinal simples

  • Barra interna.
  • Barra externa.
  • Barra de pines.

Barras de sinal duplas

  • Barra interna dupla.
  • Barra externa dupla.
  • Barras cima/baixo ou baixo/cima.

Este último tipo de barras (cima/baixo ou baixo/cima) funciona como reversão ou continuidade dependendo do contexto (final da tendência ou retração).

Barras de sinal triplas

  • Barras interna/externa/interna.
  • Barras externa/interna/externa.
  • Barras tendência/doji/tendência.

Passo 5: Gerir o risco

Existem várias formas de gerir o risco, sendo um dos aspetos fundamentais do PDT.

  • Rácio risco:recompensa (R:R) de 2 a 4, que deve ser colocado num local lógico do gráfico.
  • Target ou Preço Alvo desobstruído de suporte ou resistência significativo.
  • Stop colocado um a mais pontos da barra de sinal.
  • Entrada colocada a um ponto a seguir à barra de sinal na direção da entrada.
  • Não entrar após uma barra de sinal longa, que implica um risco maior.
  • Entrada nas primeiras duas horas da sessão, com exceção da primeira meia hora da abertura em que em devo apenas limitar a observar o mercado.
  • Máximo de duas entradas por sessão.
  • Não entrar contra uma tendência forte observada no gráfico diário, como um rompimento de um nível de suporte ou resistência, ou uma máxima/mínima 1 ou 2 a seguir a uma retração.
  • Configuração de entrada no gráfico de 5 minutos.
  • Mover o stop para breakeven quando o preço atingir um R:R de 2 (no caso de posições com target R:R >2).
  • Fechar a posição quando existir um sinal de entrada na direção oposta.
  • Observar nas primeiras barras da abertura se se trata de um mercado em tendência ou em lateralidade.
  • Fase de mercado no gráfico diário e de 5 minutos: tendência, lateralidade ou arame farpado.

Conclusão

Termina assim a versão 1.21 do Plano de Day Trade (PDT), onde foram apresentados os cinco passos de execução da minha estratégia na bolsa de valores. Esta versão é muito importante pois irá ser a minha primeira semana de trade em 2021 numa conta real, e depois de ter estado a negociar numa conta de simulação nos últimos meses. Acompanhe a minha análise técnica diária para ver o PDT em ação com exemplos práticos nos mercados que sigo.

Arame Farpado no Day Trade

Existe um tipo de mercado em que qualquer estratégia de price action ou de trading produz resultados frustrantes. Este tipo de mercado é conhecido como o padrão de Arame Farpado, sendo definido quando existem três ou mais barras sobrepostas em que pelo menos uma delas é um doji.

Como o nome indica, o melhor é mesmo não tocar neste tipo de mercado, pois o trader corre um grande risco de se “picar”.

A última sessão de day trade no ETF EWZ foi um bom exemplo deste padrão em ação.

EWZ 5 Min - Arame Farpado 1
EWZ 5 Min - Arame Farpado 2
EWZ 5 Min - Arame Farpado 3
EWZ 5 Min - Arame Farpado 1

Quando o Arame Farpado aparece no day trade (ou noutro tempo gráfico), o melhor é aguardar por uma maior claridade do price action. Caso esta claridade não apareça, como foi o caso do EWZ na última sessão, mais vale encerrar a sessão mais sedo ou então procurar outro instrumento para negociar.

Armadilha da Barra de Pines

Armadilha da Barra de Pines

A barra de pines é um dos padrões mais populares no price action, que muitos traders seguem e baseiam as suas ordens.

Este padrão é observado muitas vezes em níveis de reversão de tendência, e talvez por isso existam muitas armadilhas colocadas pelos criadores de mercado baseadas na barra de pines.

No caso de existir uma armadilha, uma entrada a favor da tendência pode ser uma excelente negociação por encurralar muitos traders com a falha do padrão da barra de pines. A última sessão de negociação do ETF EWZ é um bom exemplo disso.

Armadilha da Barra de Pines 1
Armadilha da Barra de Pines 2
Armadilha da Barra de Pines 3
Armadilha da Barra de Pines 4
Armadilha da Barra de Pines 5

Existe uma máxima no trading, e na análise técnica em particular, que diz quando um padrão parece bom demais para ser verdade, então é porque não é verdade.

Nestes casos é melhor aguardar pela confirmação de um sinal como uma segunda entrada, ou então entrar na falha do padrão onde os stops protetivos de outros traders se encontram, como o foi o caso deste exemplo.

O Mito da Psicologia no Trading

Máquina de Escrever com Palavra Pricologia

Muito se fala da psicologia no trading como condição essencial para o sucesso no investimento ou negociação na bolsa de valores.

Na sua essência isto é verdade, mas a forma de abordar o tema é que não está correta. A psicologia do trader é uma consequência e não uma causa.

Por exemplo, não será de esperar que uma pessoa com a carta de condução acabada de tirar, depois de ter estudado a componente teórica e tido aulas de condução, consiga ter uma condução proficiente. É com vários anos de condução nas estradas que o condutor ganha confiança e instinto para conduzir proficientemente. Chegará a um momento em que tudo é instintivo, como colocar as mudanças, mudar de direção, travar, limpar o para-brisas, etc.

Os anos de experiência de condução (causa) levarão à proficiência do condutor (efeito).

Da mesma forma, não será de esperar que um trader no início da sua carreira, por mais que tenha lido sobre a psicologia de investimento, consiga ter resultados consistentes. A psicologia certa advém de anos de prática a “conduzir” os mercados financeiros. No price action, isto implica o trader reconhecer instintivamente as probabilidades de dias de tendências ou de lateralidade, quando o mercado poderá mudar de tendência, qual a melhor barra de sinal, calcular o target, etc.

Os vários anos de prática a negociar nos mercados financeiros (causa), poderão conduzir ao sucesso do trader (efeito).

É por isso que menciono o mito da psicologia no trading, porque nada substitui a dedicação e prática consistentes nos mercados. Eventualmente a psicologia certa de negociação acabará por chegar aos mais persistentes, sendo um efeito e não uma causa.

GRÁTIS! Estratégia de Day Trade

Descubra quatro padrões simples de negociação que poderá usar no gráfico de 5 minutos.