Confissões de um Day Trader #09

Os gráficos de análise técnica passaram a incluir o Globex (pré e pós-mercado). Isto significa que cada gráfico contém mais barras do que no horário regular da sessão (9:30 – 16:00 EST).

No entanto, todos os setups continuam a se referir às horas regulares. Por exemplo. um rompimento touro de uma resistência em pré-mercado seguida de um teste no horário regular nessa mesma resistência (resistência tornada suporte) é um setup de teste de rompimento se considerarmos o Globex. Senão tivermos em conta o Globex, trata-se de um setup de reversão como uma cunha ou um rompimento falhado.

O aumento da posição em cada trade levou a que deixasse de usar preço médio contra, que é basicamente adicionar a uma posição quando esta vai contra mim, em vez de encerrar a mesma em stop loss. Perdia em menos dias, mas os dias de perda reduziam significativamente o valor da conta. Se com uma conta pequena, isto não significava uma grande perda monetária, com uma conta grande o prejuízo pode ser significativo.

O uso do stop loss obriga-me a ser mais preciso na entrada, selecionando uma melhor barra de sinal e entrando no tempo certo. Posso ser parado mais vezes, mas a curva de lucro e prejuízo é mais consistente.

O maior desafio numa estratégia de stop loss são os “market makers” que ao procurar liquidez no mercado, localizam onde os traders colocam os seus stops para levar o preço até lá para serem ativados. Existem portanto muitas armadilhas, sendo necessárias muitas horas de ecrã para aprender a operar nestas condições.

2 comentários em “Confissões de um Day Trader #09”

  1. os “papa stop” como dizemos no Brasil, são realmente um inferno. O timming das operações é onde está o lucro.

    Responder
    • Olá George, sem dúvida que uma ideia de trade pode estar correta, mas se não for executada no timming certo pode virar perda.

      Responder

Deixe um comentário

Confissões de um Day Trader

Subscreva a newsletter e acompanhe de perto os pensamentos e desafios de um day trader profissional.