Guia do Trader

Está a ler isto porque pensa ou quer ser um trader. Deixo aqui os cinco passos que precisa de seguir antes de mergulhar a fundo nos mercados e ter perdas irrecuperáveis.

  1. Uma plataforma de trade com simulador
  2. Um estilo de trade
  3. Alguns setups essenciais
  4. Um plano de trade
  5. Uma pequena conta numa corretora

Simulador

A primeira coisa a fazer quando se investe na bolsa de valores, é operar por uns tempos num simulador ou paper trading . Isto permite ganhar familiaridade com o price action e aprender a colocar ordens de compra ou venda, enquanto comete todo o tipo de erros típicos de um novo trader como comprar em vez de vender, calcular mal a posição, negociar em excesso (overtrading), medo de perder uma oportunidade de trade (fomo), tentar recuperar à força o dinheiro perdido (revenge trading), etc.

Felizmente existem várias plataformas gratuitas ou de baixo custo acessíveis a novos traders para treinar em ambiente de simulação.

Estilo de trade

Um estilo de trade é sobre a sua personalidade e de como se adapta às condições de mercado. Se vai ser um trader mais ativo ou menos ativo como day trade ou swing trade. Quais os tempos gráficos que irá acompanhar como o gráfico de 5 minutos ou gráfico diário, quais as ferramentas de análise técnica que vai usar, etc.

É natural que no início tenha de experimentar vários estilos, até encontrar um no qual se sinta mais confortável.

Setups de trade

Os setups de trade são discutidos extensivamente neste blog. Existem quatro grupos de setups adaptados a cada tipo de estrutura de mercado: abertura, tendência, lateralidade e reversão. No entanto, como novo trader terá de se concentrar e dominar primeiro alguns setups essenciais mais adequados a iniciantes. O trabalho de Al Brooks e Bob Volman são dois excelentes recursos para aprofundar este passo.

Plano de trade

É fundamental criar e seguir um plano de trade. O trading deve ser encarado como qualquer negócio, sendo acima de tudo um desafio mental sobre o qual se trabalha e desenvolve. O plano deve incluir como mínimo o mercado a acompanhar (não recomendo seguir mais de um mercado líquido no início [como o EURUSD (Forex), E-mini NQ e ES (Futuros) ou BTCUSD (Criptomoedas)], rácio recompensa risco para cada trade, o tamanho da posição, limites de perda diários e as regras. Este último ponto (regras) é de vital importância.

Pequena Conta

Depois dos primeiros quatro passos estarem interiorizados e obtiver os primeiros resultados consistentes (e positivos) no simulador, a altura de seguir para a próxima fase, abrindo uma pequena conta em dinheiro.

Operar numa conta em dinheiro é muito diferente de um simulador, pois envolve emoções associadas às perdas e ganhos financeiros, como a ganância e o medo.

Felizmente, hoje em dia, é possível abrir uma conta de trade com montantes mínimos. Pode ir depois aumentando o tamanho da sua conta e risco aos poucos, à medida que ultrapassa as barreiras emocionais inerentes ao facto do seu dinheiro estar em risco.

Poderá acontecer o caso de ganhar dinheiro no simulador e perder na conta real. Isto é perfeitamente normal, podendo sempre alternar entre o simulador e a conta real à medida que se vai ambientando ao risco e incerteza dos mercados.


Nota: Aprender a operar nos mercados de forma consistente não é menos diferente do que a aprender de uma nova língua ou outra disciplina séria, em que são precisos anos de estudo e prática, e mesmo assim nunca existindo garantias de sucesso. Esqueça, portanto, o enriquecimento fácil se quer investir ou negociar na bolsa.

Boa sorte e bons trades!

Deixe um comentário

Confissões de um Day Trader

Subscreva a newsletter e acompanhe de perto os pensamentos e desafios de um day trader profissional.