Introdução às Reversões no Price Action – Brooks (2009)

Este artigo contém as minhas notas de estudo do livro Ler Gráficos de Preços Barra por Barra de Al Brooks*, estando integrado num resumo geral da obra, capitulo por capitulo.


A regra mais importante deste livro é que não deverá sequer pensar negociar contra uma tendência até existir um rompimento significativo de uma linha de tendência. E mesmo assim, deverá procurar negociações a Favor da Tendência porque depois da primeira onda de contra tendência, o mercado quase sempre regressa atrás na direção da tendência para testar o extremo antigo.

Apenas raramente a linha de tendência rompe num momento tão forte que o teste não é negociável pelo menos para um scalp. Se o mercado falhar novamente no estremo antigo, então fez duas tentativas em empurrar através desse nível e falhou, e quando o mercado tenta fazer alguma coisa duas vezes e falha, geralmente tenta o oposto. É depois o teste do antigo extremo que deve procurar negociações de contra tendência, e apenas se existir uma boa configuração na reversão para longe da extremo antigo.

Uma reversão de tendência, ou simplesmente uma reversão, não é necessariamente uma reversão atual. Poderá mudar de uma tendência touro para uma tendência urso ou vice-versa. Poderá ser tão simples como um rompimento de linha de tendência. A nova tendência poderá ser longa ou limitada a uma única barra. O mercado também pode simplesmente andar de lado uma ou duas barras, e depois tender novamente mais tarde para cima ou baixo.

Muitos analistas não usarão o termo “reversão” exceto em retrospetiva, depois de uma série de máximas e mínimas de tendência terem-se formado. Contudo, isto não é útil no trading porque aguardar que isto ocorra resultará num pior rácio risco recompensa, uma vez que uma retração se torna mais provável quanto mais tempo a tendência estiver em efeito.

Assim que o trader, iniciar posições na direção oposta à tendência, esse trader acredita que a tendência reverteu mesmo que o critério estrito não tenha sido atingido.

A maioria dos analistas concordam em dois requisitos para uma reversão de tendência. O primeiro requisito, é absoluto, de que o movimento tem de romper uma linha de tendência anterior. O segundo requisito, não é requerido, mas acontece na maior parte das vezes: depois do rompimento da linha de tendência, o mercado volta atrás e testa com sucesso o extremo da antiga tendência.

Todos concordam que uma nova tendência está presente assim que existir uma serie de Máximas Altas e Baixas num touro e Mínimas Baixas e Altas num urso.

O teste pode não alcançar o extremo antigo ou ultrapassá-lo, mas não por muito. Se a Mínima Baixa se estender demasiado baixo é melhor aguardar por outro rompimento de linha de tendência, com uma onda de alta, e depois uma Máxima ou Mínima Baixa antes de iniciar posição longa novamente.

A primeira retração, por exemplo, o primeiro Mínimo Alto num novo touro, pode ser um teste da mínima do urso ou teste de um rompimento (dum ponto chave como uma linha de tendência, ponto anterior swing, lateralidade, ou média móvel) e pode não chegar muito perto da mínima do urso.

Muitas tendências terminam com um rompimento de uma linha de canal. Por exemplo, um touro tipicamente termina de uma ou duas formas. Ou existe uma ultrapassagem da linha de canal touro que falha e é seguida por uma reversão que rompe abaixa da linha de tendência, ou mercado reverte sem ultrapassar a linha de canal.

Se o touro terminou com um rompimento falhado da linha de canal, existirão tipicamente duas pernas de baixa, e a primeira retração quase sempre forma uma Mínima Baixa (e raramente com uma Máxima Alta) à medida que testa a máxima do touro. Por outro lado, se o touro termina com o rompimento da linha de tendência, o teste da máxima touro pode ser uma Máxima Alta ou uma Máxima Baixa em que cada caso ocorrer frequentemente por igual.

Uma vez que duas pernas de baixa são esperadas, uma Máxima Alta deverá ser seguida por duas pernas, e uma Máxima Baixa poderá ser seguida por uma perna, uma vez que esta primeira perna já ocorreu antes da Mínima Alta ser formada. Se o mercado formar uma Máxima Alta no teste ao extremo antigo, um dos melhores negócios é vender na primeira Máxima Baixa, que é um teste da Máxima Alta. Num urso a seguir a uma reversão da Mínima Baixa (obviamente a seguir à onda de alta que rompeu a linha de tendência principal), é imperativo comprar a primeira Mínima Alta porque isto reforça a premissa do fundo maior.

Um ponto importante é que as tendências duram mais tempo do que muitos traders pensariam. Porque a maioria dos padrões de reversão falham (e alguns se tornam padrões de continuidade), e maioria dos padrões de continuidade sucedem.

Se se encontra a desenhar muitas linhas de canal, então está muito desejoso para encontrar uma reversão e estará provavelmente a perder muitas negociações a Favor da Tendência. Adicionalmente, como a maioria das ultrapassagens e reversões são menores numa tendência maior e falham, estará a negociar muitas posições falhadas e a perguntar porque estes padrões falham quando supostamente deveriam ser tão bons.

Aguarde por um rompimento de linha de tendência antes procurar por um negócio de contra tendência e pense nas ultrapassagens menores das linha de canal  como configurações a Favor da Tendência, e entre onde os perdedores estão a sair nos seus stops protetivos.

Numa tendência touro, os compradores continuarão a comprar até decidirem que o rácio risco recompensa não é mais favorável como gostariam, e nesse momento começarão a realizar lucros parciais.

Quem estará até ao último ponto a comprar num touro e a vender num urso? Tudo o que precisa de saber é que existe um elevado volume nos extremos, que advém de instituições, em que algumas estão a comprar a máxima enquanto outras estão a vender a mínima.

A negociação mais fiável de Contra Tendência é entrar Contra Tendência numa retração, que é uma pequena tendência na direção oposta da tendência principal, Assim que os traders de retração se tiverem exausto e os traders de tendência demonstrado novamente a sua resolução ao romper a linha de tendência que contém a retração, cada retração pequena que testa este rompimento é uma grande entrada de Retração de Rompimento. A entrada é conta a tendência da retração, mas na direção da tendência principal, e geralmente conduz pelo menos a um teste do extremo da tendência principal. Quanto mais momento estiver presente no rompimento da linha de tendência, mais provável é que a negociação seja lucrativa.

O momento numa reversão pode ser na forma de umas poucas barras de tendência grandes ou uma série de barras de tendência médias. Quanto mais sinais de força, mais fiável é a reversão. Idealmente, a primeira perna da reversão irá extender-.se por muitas barras, romper bem para além da MME, a maioria das barras serem de tendência na direção da nova tendência, e estender além de pontos swing na tendência anterior (se a tendência anterior foi um touro, então é um sinal de força se a primeira perna no novo urso desça abaixo de um ou mais Mínimos Altos do touro anterior).

Embora as melhores reversões tenham um momento forte e avancem muito, elas geralmente são muito lentas a iniciar e podem ter várias pequenas barras antes do movimento significativo começar. O mercado está a tentar o encurralar para fora do negócio para que tenha de perseguir o movimento e impulsionar o mesmo. É comum no início de uma tendência encontrar retrações nos gráficos de 1 e 3 minutos, que coloca os traders fora do mercado. Ocasionalmente existirá uma retração no gráfico de 5 minutos que frequentemente se transforma numa barra externa, enganando-o e forçando-o a reentrar a nova tendência num preço pior.

Quando este tipo de reversão agitada acontece depois de um rompimento de linha de tendência e no teste do extremo da tendência, a nova tendência durará pelo menos uma hora ou duas e percorrerá muitos pontos.

Se o trader entra cedo, mas o movimento é hesitante (barras sobrepostas) por algumas barras, isto não deverá constituir preocupação, especialmente se estas barras forem maioritariamente na direção certa da tendência. Isto é um sinal de força, estando todos a observar e a aguardar pelo início do momento antes de entrar. Um bom trader de price action pode entrar antes de isto acontecer e depois pode mover o seu stop breakeven logo após o início do impulso, permitindo lucrar com o mínimo de risco.

Se está confiante na sua leitura, faça o negócio, e não se preocupe que mais ninguém esteja a ver o que vê. Mais cedo ou mais tarde os traders verão. Assegure-se que mantém parte ou toda a posição swing mesmo que por vezes seja parado uma ou duas veze no stop breakeven antes da tendência começar a correr.

Quando uma tendência é gradual, é tradicionalmente chamada uma área de distribuição no final de um touro ou uma área de acumulação no final de um urso. Em termos de price action, o topo de distribuição pode ser uma bandeira de duplo topo, um pico e lateralidade, ou um pico e canal onde o canal pode levar um tempo a se formar. Um fundo de acumulação tem padrões de price action correspondentes.

Tipicamente, entradas em retrações de tendência parecem más, mas são lucrativas, e entradas em reversões parecem boas, mas são perdedoras. Se procura comprar uma reversão num urso ou vender num touro, assegure-se de que é perfeita.

Existe um ritmo no mercado à medida que forma tendências alternadas. Uma tendência geralmente acaba com uma ultrapassagem de linha de canal e reversão seguida de um movimento de duas pernas que rompe a linha de tendência. As duas pernas permitem depois desenhar de um canal na nova tendência.

Algumas tendências terminam simplesmente com um rompimento da linha de tendência depois um teste, seguido de uma segunda perna. Estas duas pernas

Estas duas pernas formam uma nova tendência de canal que pode ou não se o início de uma nova tendência. Se a nova tendência é fraca, geralmente resultará numa retração e depois uma retoma da tendência antiga. Os traders deverão estar sempre a desenhar ou pelo menos a visualizar linhas de tendência e linhas de canal e observar como o mercado reage quando testa estas linhas.

Reversões maiores de mercados urso são geralmente voláteis com grandes barras e impulsos para cima e para baixo. As pessoas pensam que que o pior já passou e depois realizam “Ups, entrei muito cedo!”, e depois são rápidas a vender. Isto pode acontecer várias vezes antes do fundo final se formar e pode explicar porque tantas reversões maiores acabam com grandes barras de lateralidade com uma Bandeira Falhada ou um padrão de Três Impulsos.

Não precisa de verificar, mas a primeira grande retração numa tendência forte geralmente testa a MME no gráfico de 15 minutos.

Porque a perna de baixa é tão forte, que tanto touros como ursos acreditam a mínima irá provavelmente ser testada antes do mercado romper numa nova máxima.

*Tradução do editor para português do título original do livro Reading Price Charts Bar by Bar.

GRÁTIS! Estratégia de Day Trade

Descubra quatro padrões simples de negociação que poderá usar no gráfico de 5 minutos.