Reflexões de Fim de Ano (III)

Não gosto de usar padrões de candles como setups de entrada, pois sinto-me preso a uma metodologia que não permite quaisquer erros, tanto de análise como de execução, além do mercado ter uma componente aleatória demasiado forte que torna difícil acertar nas previsões da futura direção do preço.

Prefiro um sistema mais aberto que permita cometer alguns erros, mas que mesmo assim seja possível recuperar uma posição com a gestão da operação.

Se penso que o mercado está em alta tento comprar ao melhor preço sem a necessidade de aguardar um padrão de candles e vice-versa para um mercado de baixa.

Também não preciso de entrar com a posição inteira. Posso dividir um trade em duas entradas. Se na primeira entrada o mercado for contra mim, posso adicionar uma segunda entrada se ainda acreditar na premissa inicial.

Se depois das duas entrada o mercado continuar na direção contrária ao desejado, em vez de encerrar a posição num stop loss, posso adicionar um hedge para cobertura do trade.

Isto irá dar uma maior folga ao trader enquanto o mercado faz o que tem a fazer dando novas pistas dos próximos passos.

  • Encerrar os trades iniciais e deixar correr o hedge?
  • Encerrar o hedge e deixar correr os trades iniciais?
  • Encerrar os trades iniciais um a um ou na totalidade?
  • Manter os trades iniciais e o hedge aberto enquanto executo uma nova operação?

O uso de hedge também acarreta riscos como outra estratégia qualquer, principalmente com o cálculo do risco devido ao facto de ter várias posições abertas.

No entanto, é uma das técnicas que gosto mais de usar para a gestão do risco. Convém referir, que o hedge nem sempre é usado, pois o mercado pode ir a meu favor a partir de qualquer dos dois trades iniciais.